Planos facilitam para manter cliente

Fonte: O Dia – 15/05/2016
São várias as estratégias das operadoras de planos de saúde para driblar a crise econômica que impacta o setor. Segundo dados da ANS, nos 12 meses terminados em março deste ano 1,3 milhão de brasileiros deixaram de ter planos: um recuo de 2,7%. E a reação de empresas a esse movimento foi oferecer descontos para pessoas físicas, ampliar negociação para planos empresariais e a coparticipação.

As medidas ampliam as opções de quem procura assistência e também mostram resultados positivos às operadoras, apesar do cenário negativo. Para encontrar um plano acessível, os consumidores que pretendem ter plano individual ou por adesão devem pesquisar.

Entre as facilidades, por exemplo, a Assim Saúde chega a oferecer, em média, 30% de desconto para plano individual. A reportagem do DIA ligou para a empresa e cotou alguns preços. Um plano para um beneficiário de 30 anos que sairia a R$ 308 está a R$260, desconto de 33%. Já para uma pessoa acima de 59 anos, faixa etária com valores mais altos, esse plano está com desconto de 19%, mas com preço mais salgado: de R$ 1.249 cai para R$ 1007.

Em relação aos planos coletivos, que hoje representam 80% da carteira das operadoras, a Associação Brasileira de Planos de Saúde (Abramge) ressalta a oferta de planos com coparticipação — quando o beneficiário paga um valor para exames e consultas. Em contrapartida, a mensalidade é mais baixa.

“É uma forma de as empresas terem contratos mais baixos com operadoras respondendo a esse período de crise”, afirmou o diretor executivo da Abramge, Antonio Carlos Abbatepaolo.

Amil, Unimed-Rio e SulAmerica são alguns dos planos que apontam a coparticipação como estratégia, e que vem segurando clientes.

A Amil afirma que “metade das vidas cobertas pelos planos empresariais contam com algum tipo de coparticipação”. A Unimed-Rio diz que aumentou 69% o número de usuários em um ano com essa medida. A operadora destaca ainda a “negociação de planos customizados” com empresas.

O corretor Marcelo Souza, da Flap Seguros, destaca outra medida adotada por empresas: “A prática de redução e compra de carência na mudança de plano”. “A negociação de planos customizados com pequenas empresas também tem dado certo”, completa Rafel Barbosa, da Uragui Corretora de Seguros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *