Golpes também na rede privada de saúde

Fonte: Portal CBN – 24/06/2016
Por Cristina Seciuk
Depois do alerta feito pela Secretaria de Estado da Saúde sobre tentativas de golpe contra pacientes do Sistema Único de Saúde, familiares de pessoas internadas na rede particular de Curitiba também denunciam a ação de estelionatários.

Os contatos, feitos por telefone, são comuns de acordo com a Polícia Civil do Paraná.

O alerta feito pela Secretaria de Saúde do estado no início da semana dá conta de ligações recebidas por familiares de pacientes do SUS.

De acordo com a pasta, os golpistas solicitam depósitos em dinheiro para cobrir despesas médicas, principalmente para a realização de exames que não seriam cobertos pelo Sistema Único de Saúde.
Depois da informação divulgada a CBN recebeu relatos dessa ação também na rede privada.

A assistente pedagógica Ingrid Dequech, que está com uma parente internada no Hospital Nossa Senhora das Graças e também foi alvo.

A mãe dela passou por cirurgia e estava na UTI, com previsão de saída da terapia intensiva nesse sábado. Foi quando aconteceu o primeiro de vários contatos.

O pedido feito para a realização do exame foi de R$ 2.600, que teriam que ser depositados pela família.

Ingrid diz que ficou assustada com a notícia, mas desconfiou do golpe. Ela falou para o suposto médico que não poderia autorizar o procedimento sem conversar antes com outros familiares.

Ele pediu que, então, ela retornasse com urgência porque a mãe dela corria risco de vida.

Depois dessa primeira conversa Ingrid ligou para o cunhado que é médico e para os irmãos. Todos também desconfiaram que se tratava de algum estelionatário.

Na sequência foram ainda cinco ou seis novos telefonemas, inclusive gravados pela família, que não caiu no esquema e fez boletim de ocorrência.

Naquele mesmo dia, Ingrid foi ao hospital para ver a mãe e ficou sabendo de uma série de ações iguais com outros pacientes.

De acordo com o diretor executivo do Nossa Senhora das Graças, Flaviano Feu Ventorin, o golpe já é conhecido do hospital que tomou uma série de medidas para evitar o contato de pessoas de fora com os familiares dos pacientes.

Em relação aos casos recentes, inclusive citados pela filha da paciente entrevistada pela CBN Curitiba, o diretor informou que todos estão sendo investigados.

O responsável pela Delegacia de Estelionatos, delegado Wallace de Oliveira Brito ressalta que a recomendação é sempre desconfiar desse tipo de contato, procurar diretamente pelo hospital e registrar BO junto à Polícia Civil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *