Planos de saúde do Alto Tietê se adaptam para fazer o teste da dengue.

Fonte: TV Diário (afiliada TV Globo) – 19/01/2016
Operadoras terão de realizar 21 novos serviços. Com a ampliação do atendimento, novos reajustes poder acontecer.
Os planos de que atendem as cidades do Alto Tietê estão se adaptando a obrigatoriedade de fazer o teste rápido da dengue. O exame também pode identificar a febre chikungunya. A determinação prevê também a realização de outros 20 procedimentos.
Alguns procedimentos foram incluídos e outros ampliados. A implantação de auditiva, por exemplo, foi incluída. Já as consultas com fonoaudiólogo, nutricionista, fisioterapeuta e psicoterapeutas foram ampliadas. O teste da fica pronto em 30 minutos. Segundo as operadoras de saúde, o exame pode evitar um tratamento longo com internações.
O biomédico Oswaldo dos Santos diz que o procedimento é eficiente. “Como trata-se de um procedimento que é realizado para a detecção de anticorpos, ele é altamente sensível e é possível detectar a presença do vírus.”
O exame é feito em laboratório e qualquer pessoa pode pedir. Os valores podem variar de R$ 60 a R$ 120, dependendo do procedimento. No mais simples, o médico colhe uma amostra do sangue do paciente que é misturado com um produto específico e aguarda o resultado. “Isso facilita bastante e ajuda muito o médico no seu diagnóstico”, completa.
No caso da suspeita de dengue, o biomédico explica que o ideal é que o sangue seja coletado logo nos primeiros sintomas. “O período de incubação do vírus é de dois a nove dias. No quinto dia é o melhor para a detecção do anticorpo. No décimo dia, 99% é detectado.”
Cerca de 50 milhões de pessoas devem se beneficiar com o exame da dengue. Para o corretor de planos de saúde, Rogério Hermínio da Graça, de Suzano, as mudanças devem ser encaradas como prevenção. “Com os primeiros sintomas as pessoas vão recorrer ao médico agora para que possam ter um diagnóstico.”
Reajustes
Os planos de já reajustaram os valores em até 10%. Outras operadoras vão anunciar reajustes neste ano. “Isso já era previsto”, comenta Rogério.
Sobre o aumento, a entidade que representa as operadoras de planos de saúde, disse que é a favor do desenvolvimento de novas tecnologias médicas, mas que o impacto de novos procedimentos, e terapias nas coberturas pode pressionar o equilíbrio financeiro das operadoras.
Por isso, segundo a associação, este impacto pode encarecer o acesso de novos beneficiários aos planos de tendo em vista a necessidade de suprir os novos custos gerados por tais incorporações.
A Agência Nacional de Saúde (ANS), que fiscaliza as operadoras, ainda não enviou uma resposta sobre o aumento.
Assista a íntegra da matéria veiculada no TV Diário de Mogi das Cruzes e Suzano
http://g1.globo.com/sp/mogi-das-cruzes-suzano/noticia/2016/01/planos-de-saude-do-alto-tiete-se-adaptam-para-fazer-o-teste-da-.html

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *