Pandemia afeta maior parte dos tratamentos de câncer do país, diz pesquisa

Durante a pandemia da covid-19, 53% dos tratamentos de do Brasil sofreram alterações, de acordo com uma pesquisa feita pela campanha “O câncer não espera”. Foram ouvidos profissionais que trabalham no SUS (Sistema Único de Saúde) e em instituições privadas, de 8 de abril a 26 de julho.

Ainda que os especialistas estejam alertando para o caráter emergencial do tratamento da doença, as medidas de contenção da escalada do coronavírus e o sufocamento das redes hospitalares colocaram a doença em segundo plano.

O quadro é ainda mais complicado no sistema público, segundo a pesquisa apresentada pelo jornal O Globo. 68% dos pacientes do tiveram tratamentos alterados. Entre cancelamentos e remarcações, os números colhidos com profissionais da rede apontam para alterações em exames, exames (72%), consultas (60%), sessões de quimioterapia (15%) e radioterapia (18%).. O sistema privado, 38% dos tratamentos foram afetados.

A Sociedade Brasileira de Oncologia declarou ao jornal que existe uma estimativa de que 70% das cirurgias oncológicas também tenham sofrido mudanças no período da pandemia.

Clóvis Klock, da Sociedade Brasileira de Patologia (SBP), disse ao Globo que um complicador é o fato de que leitos que antes eram destinadas para pacientes com hoje estão alocados para o tratamento da covid-19.

“Alguns locais que fazem exames de imagem importantes para tratar e diagnosticar tumores fecharam ou passaram a atender os atingidos pelo coronavírus como prioridade”, adicionou.

“Quem está com não vai deixar de ter a doença e vamos enfrentar pessoas, mais a frente, em situações piores do que estariam se tivessem mantido o tratamento ou sido diagnosticadas precocemente, com um sistema de saúde — que já é historicamente insuficiente, muito combalido”, afirmou.

Fonte: Uol – 03/07/2020

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *