Suspeito se cala em depoimento à CPI da máfia das próteses no RS.

Ele e advogada conseguiram liminar na Justiça para ficarem calados.
Uma paciente, operada em 2011, também foi ouvida na Assembleia.
Por Dayanne Rodrigues
A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul que investiga a máfia das próteses ouviu nesta quarta-feira (21) três pessoas em Porto Alegre. Entre elas, estava o ortopedista Fernando Sanchis, suspeito de envolvimento no esquema que usava documentos falsos em pedidos de liminar para cirurgias superfaturadas, e que se calou durante o depoimento.

O médico foi chamado para depor na condição de testemunha. Também compareceu na Assembleia para prestar depoimento a advogada Niele de Campos Severo, apontada como a responsável pelo encaminhamento de liminares para a realização de cirurgias.

Os dois conseguiram na Justiça uma liminar para que possam permanecer em silêncio durante a CPI. A liminar, segunda a desembargadora que assina o documento, é para evitar a auto incriminação, dispensando o médico e a advogada da assinatura do termo de compromisso de falar a verdade.
Também foi ouvida a paciente Ireda Schultz, que passou por cirurgia no joelho em 2011. Até hoje ela apresenta problemas e dores no local.

A da Assembleia gaúcha, presidida pelo deputado Missionário Volnei (PR), foi instalada para investigar crimes e irregularidades em procedimentos médicos relacionados a este tipo de cirurgias, como ocorreu, em nível federal, com a CPI do Senado.

Entre os principais pontos que estão sendo analisados pelos deputados gaúchos, principalmente através de depoimentos de supostas vítimas e acusados, estão os que se referem a superfaturamento de cirurgias realizadas por liminar judicial para colocação de próteses e o consequente rombo que a chamada “máfia das próteses” causou a e aos cofres públicos, além de prejuízos irreparáveis à de pacientes.

http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2015/10/suspeito-se-cala-em-depoimento-cpi-da-mafia-das--no-rs.html

Foto: Dayanne Rodrigues/RBS TV

Fonte: Portal G1 – 21/10/2015

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *