Coração exige cuidado com as bebidas adoçadas.

cora
Fonte: O Estado de S. Paulo – 26/11/2015
Por Ana Paula Scinocca
Se eu substituir o por adoçante não tem problema.; posso consumir à vontade. Certo? Não, errado! Pelo menos é o que revela pesquisa sueca divulgada recentemente.
Segundo levantamento coordenado pela pesquisadora Susanna Larsson, do Instituto de Karolinska, em Estocolmo, homens que consomem dois ou mais copos de refrigerante ou outras bebidas adoçadas por dia podem ter risco maior de desenvolver insuficiência cardíaca.
A insuficiência cardíaca, doença que ocorre quando o coração não é forte o suficiente para bombear o sangue e o oxigênio necessários para o bom funcionamento do corpo, atinge mais de 23 milhões de pessoas no mundo.
A pesquisa, que avaliou um grupo de cerca de 42.000 homens por uma média de quase 12 anos, foi feita sem separar os dados de açúcar e artificiais. Estudos anteriores já haviam ligado o alto consumo de bebidas adoçadas com vários fatores de risco para insuficiência cardíaca, incluindo pressão alta, açúcar elevado no sangue, ganho de peso, diabetes e obesidade.
Segundo a pesquisa, homens que consumiram mais de duas bebidas adoçadas por dia apresentaram 23% maior risco de desenvolver insuficiência cardíaca em relação aos que não consumiram essas bebidas.
O levantamento não pode provar que bebidas adoçadas causam insuficiência cardíaca, segundo a pesquisadora. Porém, fica o alerta. O consumo de bebida adoçada tem sido associado com o aumento da pressão sanguínea, maior concentração de insulina, ganho de peso, obesidade e diabetes do tipo 2 também nas mulheres, segundo observação da pesquisadora.
A seguir, a coordenadora dos Cursos de Gastronomia e Nutrição do IBMR Ana Maria Gonçalves fala sobre os adoçantes:
Adoçantes dietéticos X Adoçantes: Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), são explicitados da seguinte forma: Adoçantes são produtos especificamente formulados para conferir sabor doce aos alimentos e bebidas, tendo a sacarose (açúcar de cana) como principal exemplo. Já os adoçantes dietéticos conferem doçura sem possuir sacarose na composição, uma vez que são elaborados para atender às necessidades de pessoas com restrição de carboidratos simples (diabéticos)
Tipos: Os adoçantes dietéticos podem ser divididos em dois grupos distintos: não nutritivos (sacarina, ciclamato, acessulfame-k, sucralose, esteviosídeo); e nutritivos (frutose, sorbitol, aspartame);
Comercialização e funcionalidade: Os adoçantes são apresentados sob as formas de tabletes, grânulos, pó ou líquido. Sobre o uso na culinária, o mais indicado é o adoçante em pó. Para as receitas que vão ao forno, no fogão ou no micro-ondas, os adoçantes dietéticos à base de aspartame não são recomendados porque, em altas temperaturas, a ligação entre os dois aminoácidos (fenilalanina e ácido aspártico) presentes em sua composição se rompe, provocando a perda do sabor doce.
Recomendação de Consumo Máximo diário: O número de gotas indicado equivale a 75% do peso da pessoa. Por exemplo, uma pessoa de 60 Kg deve consumir, no máximo, 45 gotas ao dia.