Saúde já adota medidas propostas pelo Banco Mundial, diz ministro

Fonte: O Estado de S. Paulo – 22/11/2017
 
O relatório propõe, entre outras medidas, que o governo feche hospitais de pequeno porte, pois eles são proporcionalmente caros em comparação com os grandes
 
Por Lu Aiko Otta
 
O Ministério da Saúde já adota muitas das medidas sugeridas no relatório “Um ajuste justo – propostas para aumentar eficiência e equidade do gasto público no Brasil”, elaborado pelo Banco Mundial. “Entendemos que o relatório é uma fórmula para melhor aplicar os recursos, que é o que estamos fazendo”, comentou nesta terça-feira, 21, o ministro da Saúde, Ricardo Barros.
 
O relatório propõe, entre outras medidas, que o governo feche hospitais de pequeno porte, pois eles são proporcionalmente caros em comparação com os grandes. Barros explicou que, nesse caso, o que vem sendo feito é trabalhar na especialização dessas unidades, dentro de uma lógica regional de atendimento. “Cada município não pode ter todos os recursos, mas num conjunto de municípios todos estarão disponíveis.”
 
O uso de profissionais não médicos para atender a casos menos complexos, sugerido no relatório, é outra política apoiada pela Saúde.
 
Nesse caso, porém, o governo esbarrou na resistência da classe médica, que procurou restringir a atuação de enfermeiros e agentes de saúde. “É uma jabuticaba”, criticou o ministro. Ele afirmou que, em outros países, muitos dos procedimentos que aqui são exclusivos dos médicos são realizados por outros profissionais da área.
 
O relatório sugere também uma articulação entre os níveis de atendimento do sistema de saúde, outra iniciativa que está em curso na pasta. Segundo o ministro, o teleatendimento, no qual o médico da atenção básica consulta à distância os especialistas, melhora as chances de resolver o problema já nessa etapa e evita encaminhamentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *