Polícia Federal revela esquema de fraudes realizadas por médicos

Fonte: DM.com.br – 10/11/2017
Médicos realizavam cirurgias desnecessárias levando em consideração apenas os lucros
 
Por Letícia Rocha
Polícia Federal revelou esquema de feitas por médicos e empresas em Palmas (TO). Através de grampos telefônicos a polícia descobriu que os envolvidos desviavam dinheiro do e de outros planos de saúde.
 
Além de fraudar licitações, favorecendo as empresas que pagavam propinas. Os médicos também realizavam cirurgias sem real necessidade.
 
São 10 médicos suspeitos de receber R$ 4,3 milhões em propina.
 
A investigação também descobriu que os médicos tiravam equipamentos dos hospitais públicos para levar para clínicas particulares.
 
A imagem abaixo traz a transcrição de uma conversa entre dois médicos. O assunto é o empréstimo de equipamentos e eles até citam que um dos que foi “emprestado” estragou.
 
O juiz responsável pela investigação, João Paulo Abe, disse que os diálogos chocavam “pela absoluta irrelevância da vida humana e pela evidente mercantilização da saúde”.
 
A investigação foi nomeada como Operação Marcapasso e já cumpriu com 137 mandados judiciais.
 
Cirurgia desnecessária
 
Um dos médicos investigados, Ibsen Trindade, manda cozinhar um dos pacientes, em relação a uma cirurgia de cateterismo. Em seguida conclui dizendo “se o cara tem dinheiro faz-se cateterismo… Manda dar uma cozinhada para que a galinha dê os ovinhos que tem que dar…”
 
Além de realizar processos cirúrgicos levando em conta a condição financeira dos pacientes ao invés da saúde, o médico também é suspeito de usar a conta bancária da mãe de 89 anos para receber propina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *