ES: Reuso de material descartável – Mais um ortopedista é preso

post-blog-abramge-agulha

Médico também recebia comissão para usar equipamentos falsificados de empresa investigada na Operação Lama Cirúrgica. Materiais também foram apreendidos na madrugada desta segunda (26)

Por Viviane Machado

Um médico ortopedista foi preso, na madrugada desta segunda-feira (26), suspeito de envolvimento no escândalo de fornecimento de materiais hospitalares descartáveis reutilizados na Grande Vitória.

Segundo o secretário de Segurança Pública do Espírito Santo, André Garcia, o médico recebia dinheiro, uma espécie de comissão, para usar equipamentos falsificados vendidos pela Golden Hospitalar.

“Ele utilizava nas cirurgias, materiais processados, de uso único que deveriam ser descartados, eram usados novamente reprocessados em procedimentos de cirurgia ortopédica. Além disso, ficou constatado que esse profissional utilizava etiquetas falsas para fins de cobranças de materiais que não eram utilizados. Ele também recebia um valor pela utilização de materiais da empresa que nós estamos investigando”, disse o secretário.

A prática foi descoberta durante a Operação Lama Cirúrgica, do Núcleo de Repressão à Crimes Organizados e à Corrupção (Nuroc).

Material apreendido

Um mandado de busca e apreensão domiciliar também foi cumprido na empresa Golden Equipamentos e Instrumentos Hospitalares, no bairro Laranjeiras, na Serra. Ao aprofundar as investigações, o Nuroc, identificou uma sala oculta, onde os suspeitos escondiam materiais ilícitos.

Foram apreendidos equipamentos falsificados, cópias de instrumentos originais de uso hospitalar, além de um perfurador para cirurgias no ombro que foi comprado ilegalmente da China, pela internet.

“Sem que se fossem observados os critérios de exigências relacionadas a esses produtos, que são usados em cirurgias. Então tem que ter muito cuidado na importação disso e há um regulamento específico”, explicou o secretário de Segurança Pública, André Garcia.

Esses equipamentos eram usados em hospitais particulares do estado. Segundo o secretário ainda não há nada que comprove a utilização desses produtos no Sistema Único de Saúde (SUS).

“São atos muitos graves cometidos contra a saúde da população. De fato, começou-se com a questão do reprocessamento de produtos que não deveriam ser reutilizados e estamos agora caminhando para outras práticas que também são ilegais, irregulares, que apontam para outra prática, mas ainda localizado em um determinado setor. Nós não vamos parar por aqui. Vamos continuar juntando provas”, completou Garcia.

Polícia Federal

O Nuroc descobriu que o esquema é internacional e que a quadrilha importava materiais dos Estados Unidos. A partir de agora, a Polícia Federal também vai participar das investigações.

Prisões

No dia 16 de janeiro, os empresários Gustavo Deriz Chagas e Marcos Roberto Krohling Stein – proprietários da Golden Hospitalar -, e o enfermeiro Thiago Waiyn foram detidos na operação. Thiago Waiyn foi solto na quarta-feira (21).

Os bens dos proprietários da empresa foram bloqueados pela Justiça na quinta-feira (22), segundo o Nuroc.

As investigações apontam que os produtos que deveriam ser usados apenas uma vez foram reutilizados 2.536 vezes.

Foi descoberto, ainda, o envolvimento de uma outra empresa, a Esterileto, contratada pela Golden para esterilizar os produtos.

Dois médicos continuam presos: Marcos Robson de Cassia Alves Júnior e Rodrigo Souza Soares.

Fonte: G1 – 27/03/2018