Consumo de dispositivos médicos diminui 4,4% até setembro no país.

Fonte: Folha de S. Paulo – 26/11/2015
Por Maria Cristina Frias

O consumo nacional de produtos e equipamentos médicos caiu 4,4% no acumulado deste ano até setembro.

O número, levantado pela Abiis (Aliança Brasileira da Indústria Inovadora em Saúde), considera a produção nacional mais as importações e exclui as exportações.

A queda na demanda foi puxada pelo recuo dos importados, que chegou a 9,23% no período analisado.

“Percebemos um impacto grande da desvalorização do real, que encareceu [as mercadorias]”, diz o presidente da entidade, Carlos Gouvêa.

“A maioria dos nossos produtos são adquiridos pelo setor público, que acaba congelando as licitações. Outros compradores são os hospitais. Como a tabela dos serviços deles são, muitas vezes, pré-fixadas pelas operadoras de saúde, o câmbio é uma barreira grande [para importar].”

A produção nacional, no entanto, continua com resultados positivos. Considerando equipamentos médicos, odontológicos e ópticos, a alta foi de 5,1% entre janeiro e setembro em relação ao mesmo período de 2014.

“O dado não é ruim, mas a projeção feita no início do ano era de 12%. O país tem um potencial muito grande para crescer nesse setor”, diz José Márcio Cerqueira, diretor-executivo da Abiis.

A entidade reúne três associações da área de saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *