Brasil já soma mais de 78 mil casos de covid-19

Número de mortes no país pela doença chega a 5.466

Fonte: Valor Econômico

Um dia depois de o presidente Jair Bolsonaro ter minimizado o efeito do coronavírus e com país somando 5.466 mortes, o ministro da Saúde, Nelson Teich, afirmou que o governo tem se solidarizado com as famílias das vítimas. Ele disse ainda que o governo federal não mudou a orientação quanto ao isolamento social. Segundo ele, a diretriz atual é para que todos os Estados mantenham o distanciamento das pessoas. Na sua avaliação, o relaxamento partiu de alguns governadores e não do Executivo

“O Ministério da Saúde nunca mudou a orientação original de manter o distanciamento. Essa orientação vem sendo mantida. Onde a gente está vendo uma mudança em relação a isso, é uma decisão dos governadores. Nossa orientação aos governadores foi de manter isolamento”, afirmou. Apesar disso, Teich disse que sua equipe está preparando diretrizes baseados em números de infectados e crescimento da curva de contágio para orientar cada unidade da federação. A partir disso, “cada Estado vai poder usar diretriz de acordo com a sua realidade”, explicou. A explicação foi dada durante sessão deliberativa do Senado. Ele reconheceu ainda que há uma chance real de uma segunda onda de contaminações pela doença.

O número de casos confirmados da doença cresceu para 78.162, 6.276 mais que no dia anterior, segundo o Ministério da Saúde casos de coronavírus e 5.466 mortes por Covid-19, segundo informações repassadas pelas secretarias estaduais ao Ministério da Saúde. Em 24 horas, foram confirmados 6.276 casos novos e 449 óbitos. O Estado de São Paulo confirmou cerca de 200 óbitos no prazo de 24 horas, pelo segundo dia seguido. No total, foram contabilizadas 2.247 mortes – 198 a mais que no dia anterior.

Decretos da prefeitura e do Estado anunciados ontem tornam obrigatório o uso de máscaras no transporte público, a partir do dia 4. Segundo o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, já foi firmado contrato com concessionárias de ônibus que estabelece uma multa diária de R$ 3.300, na desobediência. “Será multada por dia e por ônibus se houver pelo menos uma pessoa (funcionário) sem máscara”, disse.

Fonte: Valor Econômico – 30/04/2020
Por Rafael Bitencourt, Renan Truffi e Leila Souza Lima

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *