Associação de planos de saúde processa oito das maiores fabricantes mundiais

Fonte: GauchaZH – 01/03/2018
 
Ações tramitam na Justiça americana e buscam ressarcir empresas lesadas pelo esquema de superfaturamento
 
Por Francine Silva
 
Considerado um dos setores mais afetados pela Máfia das Próteses, os planos de saúde privados querem reaver os prejuízos com o sistema de vantagens indevidas oferecidas pelos fabricantes de órteses, próteses e materiais especiais aos profissionais de saúde.
 
A Associação Brasileira de Planos de Saúde (Abramge) entrou com ações na Justiça dos Estados Unidos contra oito das maiores fabricantes desses produtos.
 
Em nota, a entidade afirma que ainda há a possibilidade de acordos prevendo multas e, principalmente, adoção de regras rígidas para a venda dos itens.
 
“É preciso que o governo, as empresas, os legisladores e também a sociedade civil se debrucem com seriedade sobre o tema das fraudes na saúde, tanto na iniciativa privada quanto no Sistema Único de Saúde (SUS)”, salienta o documento.
 
O esquema de superfaturamento<https://gauchazh.clicrbs.com.br/seguranca/noticia/2016/07/treze-pessoas-sao-denunciadas-por-envolvimento-em-mafia-das-proteses-6743584.html> foi descoberto entre 2014 e 2015. O prejuízo estimado ao Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul (IPE-RS) é de cerca de R$ 1,7 milhão.
 
Em reportagem do GaúchaZH, a equipe da Delegacia de Repressão aos Crimes de Lavagem de Dinheiro da Polícia Civil antecipou que a fraude causou ainda mais danos financeiros aos planos de saúde privados.
 
Para a Abramge, é necessária a aprovação das propostas de lei, que tramitam no Congresso desde a denúncia do esquema, para criminalizar as propinas e vantagens indevidas pagas aos prestadores de serviços de saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Categorias