ANS e planos de saúde se unem para combater a obesidade no Brasil

Fonte: Jornal Nacional – 17/11/2017

 

Plano de saúde incentiva pacientes acima do peso a mudarem de hábitos. ‘A cada R$ 1 investido em prevenção, economia é de R$ 6,47’, diz médico.

 

Trinta e sete planos de saúde e a Agência Nacional de Saúde Suplementar se uniram pra combater uma epidemia.

 

O barbante vai ligando histórias de uma luta. “Comecei com 164 quilos cheguei aos 154. Hoje eu estou com 158”, diz um homem. E ouvir e falar é só uma parte do processo.

 

“Subi na balança e vi os três dígitos. Aí eu falei, opa, alguma coisa está acontecendo. Eu digo que aqui eu me reencontrei, me resgatei”, conta Ana Paula de Jesus. O grupo faz parte do programa criado por um plano de saúde, que identificou pacientes acima do peso e decidiu incentivá-los a mudar de hábitos e, assim, evitar aquelas complicações todas que a obesidade pode trazer para a saúde.

 

“A obesidade vai determinar um aumento nos custos tanto do setor privado, quanto do setor público, que já é deficitário. Mas pior que isso, ela vai determinar uma piora da qualidade de vida e o importamento da vida das pessoas”, explica Maria Edna de Melo, presidente da Associação Brasileira para estudo da Obesidade.

 

“Prevenção é o melhor remédio e é um ganho para todos. Hoje nós temos estudos de que para cada R$ 1 que investimos em prevenção, temos uma economia de R$ 6,47”, diz o médico Walter Moschella.

 

Para convencer mais planos de que esse gasto vale a pena, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) vai lançar um manual sobre a importância de prevenir a obesidade. Dos brasileiros que têm plano de saúde, mais da metade está com excesso de peso. Em 2008 eram 46,5%.

 

“Muitas operadoras já identificaram que a obesidade é um problema de saúde. Temos 192 operadoras que já implementaram esses programas para 37 mil pessoas no Brasil”, afirma Karla Santacruz Coelho, diretora da ANS.

 

O convênio do Cristiano tem psicólogos que ligam para os pacientes que estão acima do peso. Ele chegou a pesar 160 quilos, e foi numa conversa dessas que tomou coragem para fazer a cirurgia bariátrica que o médico tinha indicado.

 

“Fomos tratando todos esses temas e isso foi me permitindo uma nova visão, uma consciência com relação a essa cirurgia”, contou o representante comercial. Sozinho ou em grupo, caminhos diferentes para o mesmo objetivo.

 

“Quando vim pra cá eu tinha 92 quilos. Hoje eu estou com 72 quilos. Parece que eu tenho até menos de tão bem que eu me sinto. Meu filho fala que eu estou uma gata. Isso aí para mim é tudo”, conta a professora Hélia Maria Santos.

 

Assista aqui a reportagem completa.<http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2017/11/ans-e-planos-de-saude-se-unem-para-combater-obesidade-no-brasil.html>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *